Com os grandes lançamentos dos últimos anos, é claro que os caçadores de erros entraram em ação para buscar em quais partes os editores deram aquela escorregada.

Dois grandes sucessos atuais, Jurassic World e Guardiões da Galáxia, contam com vários detalhes que acabaram escapando em suas versões finais – e, curiosamente, ambos são estrelados por Chris Pratt. Mas não é perseguição.

Confira então a lista com 10 erros de edição bizarros que foram parar nos filmes:

10 – Mad Max: Estrada da Fúria

Dirigido por George Miller, Mad Max fez com que Tom Hardy ressuscitasse o personagem vivido por Mel Gibson há algumas décadas, fazendo isso muito bem. É claro que com todas as batalhas envolvendo automóveis, fica difícil de esconder alguns cabos de segurança utilizados pelos dublês e atores.

O bizarro, no entanto, é na cena que mostra Immortan Joe e sua tropa presos em um cânion. Uma tomada aérea mostra uma parte da equipe de filmagem bem tranquilona no canto da tela.

9 – Os Vingadores: A Era de Ultron

Na continuação do popular filme dos super-heróis da Marvel, os gêmeos Mercúrio e Feiticeira Escarlate roubam a cena e dão trabalho para o grupo dos protagonistas.

Ao final da trama, no entanto, quando a dupla resolve se juntar ao lado bom na última batalha, acontece uma cena em que Mercúrio corre para dentro de uma delegacia para alertar os policiais de que eles precisam evacuar a cidade.

Os efeitos dão a impressão de que ele realmente é muito rápido, mas tudo cai por terra quando você percebe que o ator está correndo normalmente e a imagem que é acelerada. É só perceber a movimentação do policial na direita na primeira tomada.

8 – Jurassic World

Na cena em que a equipe de contenção de grandes répteis entra em ação (e falha miseravelmente), Owen Grady está dentro da sala de controle que mostra, em um painel gigante, os batimentos cardíacos de cada um dos agentes que estão enfrentando o imenso dinossauro.

A questão é que, enquanto todos eles estão sendo trucidados, o monitor mantém o mesmo padrão. Isso significa que, mesmo com toda a confusão acontecendo, nenhum dos agentes sofre com um batimento acelerado – reação comum em situações de estresse intenso. Vai ver era uma equipe de monges.

Tudo calmo, tudo bem – só estamos sendo destroçados por um dinossauro gigante

7 – Guardiões da Galáxia

Na dobradinha de filmes estrelados por Chris Pratt, em Guardiões da Galáxia acontece um erro puramente conceitual. Drax é um personagem que não consegue entender metáforas, mas em dado momento ele mesmo faz uma.

Quando se refere ao povo Sakaaran, raça dos soldados de Ronan, ele diz que os vê como “soldados de papel” – e, para a desilusão de Drax, eles não são de papel.

O cara que não entende metáforas mas as usa

6 – Sniper Americano

Bradley Cooper entrou no papel de Chris Kyle, o atirador de elite mais letal da história do exército norte-americano. O filme foi dirigido por Clint Eastwood e fez um sucesso absurdo, tornando-se o longa de guerra com maior arrecadação da história.

Isso não impediu que a filha recém-nascida do soldado fosse substituída por uma boneca com um braço animado por computação gráfica em algumas cenas, já que os produtores tiveram dificuldade para colocar um bebê de verdade nessas situações.

Que bebezin… não, pera

5 – Frozen: Uma Aventura Congelante

Sim, o queridinho das crianças e dos adultos que adoram cantar “Let It Go” também sofreu com um pequeníssimo erro de edição. Mas é realmente muito pequeno: quando o filme está em seu final feliz, Kristoff levanta Anna e seu polegar acaba “atravessando” o corpo da pequena moça.

Ou o detalhe passou direto pelos editores ou eles realmente acharam que era algo muito pequeno e que o pessoal não iria perceber. Let it go!

4 – Capitão América 2: O Soldado Invernal

O pessoal do roteiro deve ter ficado realmente confuso no segundo filme do Capitão América, principalmente com relação às datas. Em um determinado momento, é mostrado um painel com um texto que diz que Bucky nasceu em 1916, para registrar no final que o ano de nascimento é 1917.

Ainda sobre o amigo de Steve Rogers, sua morte é estampada como tendo acontecido em 1944, no mesmo dia em que um dos antagonistas, o cientista Arnim Zola, foi capturado. No entanto, o próprio Zola, por meio de sua inteligência artificial, afirma que sua prisão aconteceu em 1945. É uma festa de contradições.

Nasceu em 1916 ou 1917? Eis a questão

3 – Velozes e Furiosos 7

Cinegrafistas sendo traídos por reflexos em vidros é algo que já aconteceu em outros blockbusters – sendo o caso mais famoso o de Titanic. Em Velozes e Furiosos 7, o problema aparece duas vezes, na ocasião da prisão de Deckard Shaw.

Com o fechamento da porta de sua cela, é possível notar a silhueta do câmera tanto na parte de dentro quanto na parte de fora.

2 – Transformers: A Era da Extinção

Um filme repleto de robôs gigantes em batalhas épicas deixa muito óbvio que existe certo trabalho em computação gráfica rolando, certo? No caso de Transformers, em alguns casos, parece que o trabalho é até demais, já que os editores deixaram passar uma cena que mostra alguns truques de como os efeitos funcionam.

No caso, é uma van com diversos monitores em sua traseira, a maioria exibindo uma imagem verde clara. Este é um artifício usado para o chamado “chroma key”, que permite “apagar” essas telas verdes e substituí-las por outra qualquer, que seja do gosto dos editores. Por algum motivo, eles resolveram deixar essa passar.

1 – X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

Se o Mercúrio dos Vingadores não era tão rápido assim, o que aparece no filme dos X-Men com certeza é – talvez até demais. Na cena em que o hipervelocista tira Magneto da prisão, ele passa tão rápido por um corredor que os guardas que estão esperando para pará-lo são tirados do chão.

Ao chegar a um elevador, no entanto, os guardas não estão mais lá e o corredor está todo pintado de preto e branco – além de ajudar fugitivos, o rapaz é um pintor de primeira.

E aí? Você já conhecia algum destes erros? Não deixe de comentar qual deles você achou mais bizarro.