sábado , 19 agosto 2017
Home >> Cinema >> 6 histórias de famosos mortos pelo sucesso

6 histórias de famosos mortos pelo sucesso

Sucesso, dinheiro, fãs, uma rotina observada e registrada diariamente. Sonho de muitos, a fama já colocou um ponto final na vida de alguns famosos, que foram mortos por fãs obcecados ou perseguições de paparazzis.

Não é possível afirmar que mortes causadas por abuso de drogas e álcool foram motivadas pela fama, mas, em alguns casos, a exposição e a pressão podem ter contribuído para o uso excessivo dessas substâncias, como é o caso da cantora Amy Winehouse. Não são incluídos os que perderam a vida em acidentes de carro ou avião, já que tais fatalidades poderiam ocorrer a qualquer pessoa a caminho do trabalho.

1. Os paparazzis e a ponte

Diana Frances Spencer ganhou fama após o seu casamento com o príncipe de Gales, se tornando a Princesa Diana — ou, simplesmente, Lady Di. Diana era uma das mulheres mais famosas do mundo, ícone de beleza e elegância, exemplo por seu trabalho de caridade e na luta contra a AIDS.

Em 31 de agosto de 1997, Diana estava com o namorado Dodi al-Fayed, um segurança e o motorista quando, após uma perseguição de paparazzis, o carro deles, uma Mercedes-Benz S280 Sedan, bateu fortemente no 13° pilar do túnel da Ponte de l’Alma, em Paris, França. Três ocupantes morreram, salvando-se apenas o guarda-costas de Fayed, Trevor Rees-Jones.

O velório de Diana, em 6 de setembro, foi assistido por aproximadamente 2 bilhões de pessoas. Até hoje, ainda há especulações sobre a veracidade do acidente.

2. O declínio que levou ao suicídio

Jonathan Brandis era ator, diretor e roteirista. Ficou conhecido por seus personagens Lucas Wolenczak, da série SeaQuest DSV, e Bastian Bux, do filme “A História Sem Fim II: o Próximo Capítulo”.

Em 12 de Novembro de 2003, Jonathan foi enviado às pressas para um hospital após tentar se enforcar no apartamento em que morava. No dia seguinte, ele não resistiu aos ferimentos e morreu aos 27 anos.

Tatyana Ali, atriz e colega de Jonathan, deu a seguinte declaração sobre a morte do ator: “Você aparece em capas de revistas durante anos. Quando isso para de acontecer, qual é a sua identidade?”.

3. Assassinada pela presidente do fã clube

Selena Quintanilla-Pérez foi uma das principais cantoras latinas, sendo considerada Rainha da música texana. Na década de 90, foi premiada pela Billboard como a “Melhor artista latina” e a “Melhor artista da música latina na década”.

Em 1995, após reclamações de inúmeros fãs, Selena e seu pai descobriram que a presidente de seu fã-clube, Yolanda Saldívar, estaria desviando dinheiro. Como Selena presava pela amizade e pelo trabalho feito anteriormente por Yolanda, combinou um encontro com ela em um hotel para conversarem.

Yolanda Saldívar, presidente do fã-clube de Selena

Em 31 de março do mesmo ano, as duas se encontraram no hotel Days Inn, no Texas. Sem mais desculpas a inventar sobre o desvio de dinheiro, Yolanda tirou uma arma da bolsa e, a princípio, ameaçou cometer suicídio. Logo depois, apontou a arma para Selena, que, ao virar para fugir, foi atingida por um tiro no ombro. A bala perfurou uma artéria ligada ao coração, fazendo com que a cantora perdesse muito sangue. Às 13h, Selena morreu de hemorragia e parada cardiorrespiratória com apenas 23 anos de idade. Cerca de 60 mil fãs acompanharam seu funeral.

4. Tiroteio durante o show

Dimebag Darrell foi o guitarrista das bandas de heavy metal Pantera, Damageplan e Rebel Meets Rebel. Ele morreu em 8 de dezembro de 2004, durante um show da banda Damageplan em Columbus, Ohio.

Durante a apresentação, Nathan Gale, de 25 anos, subiu ao palco e fez a seguinte declaração: “Você acabou com o Pantera. Você arruinou a minha vida. E quanto a Phil [Anselmo]? Ele precisa de dinheiro para comprar heroína.” Phil era o vocalista da banda Pantera.

Em seguida, Nathan Gale atirou cinco vezes em Dimebag. Outras três pessoas morreram ao subir no palco para defender o guitarrista. Nathan ainda pegou uma pessoa do público como refém, mas foi morto logo em seguida por um policial.

5. O Apanhador no Campo de Centeio

John Lennon foi um dos fundadores da icônica banda The Beatles, sendo um dos maiores compositores do Século XX. Em 8 de dezembro de 1980, quando voltava para o seu apartamento, em frente ao Central Park, John foi parado por Mark David Chapman, que se dizia fã da banda. Mark então disparou 5 tiros, dos quais 4 atingiram John. Mesmo sendo levando rapidamente ao hospital, ele não resistiu e morreu.

O assassino continuou no local, segurando uma edição do livro “O Apanhador no Campo de Centeio”, alegando que a publicação teria uma mensagem para que ele matasse John Lennon. Posteriormente, Mark disse que cometeu o crime devido a declarações feitas por John, como a de que era mais popular que Cristo.

John Lennon e Mark David Chapman antes do assassinato

6. O fim do presidente

Eleito na década de 60, John F. Kennedy foi o segundo presidente mais jovem dos Estados Unidos, cujo mandato seria de 1961 a 1966.

Em 22 de novembro de 1963, 12h30, do sexto andar de um depósito de livros, Lee Harvey Oswald disparou contraa comitiva do Presidente Kennedy, acertando-o com a sua carabina italiana, calibre 6.5 mm. O corpo de Kennedy foi transferido para Washington, D.C. e velado na segunda-feira, dia 25.

Você conhece algum caso semelhante?

Fonte: Megacurioso

About AkiTech

Criador e Gerador de Conteúdo do Site KassioInFo e Agora do AkiTech. Analista de Suporte e Entusiasta de Tecnologia e Telecomunicação.

Check Also

Os 10 filmes mais pirateados da semana (20/03/2017)

Os 10 filmes mais pirateados da semana (20/03/2017)